Press "Enter" to skip to content

Volta da previsibilidade econômica está lenta, diz presidente da SulAmérica

A volta da previsibilidade econômica está mais lenta do que o presidente da SulAmérica, Gabriel Portella, diz que gostaria, anota a Folha de S.Paulo. Mas alcançá-la de forma democrática leva tempo, pondera o executivo. No fechamento de 2019, Portella relembra o fim do ano passado como um período marcado pelo ufanismo, movimento do qual a empresa ficou independente, segundo ele. “O empresário quer é previsibilidade. Se a gente vê que a economia vai crescer, pode elevar investimento”, diz.

Para Portella, os desafios macroeconômicos no próximo ano serão o elevado volume de desempregados e o patamar de juros baixos.

“A gente tem convivido muito com a alta taxa de desemprego, que afeta a vida coletiva e o setor de saúde”, afirma o executivo. 

Grande parte dos resultados financeiros da SulAmerica, diz o presidente da empresa, vem de investimentos das reservas de segurados. Com a queda da taxa básica de juros, segundo ele, a companhia compensa as perdas com mudanças operacionais.

Neste ano, a empresa lançou acordos regionais, como uma parceria com a Dr. Consulta em São Paulo. 

Em agosto, a alemã Allianz comprou a operação de seguros de automóveis e de produtos residenciais e empresariais da SulAmerica por R$ 3 bilhões. “A determinação dos acionistas é reinvestir esse dinheiro na companhia”, afirma Portella.

Please follow and like us:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial