Press "Enter" to skip to content

Coronavírus pode impactar fornecimento do setor de saúde no Brasil

Folha de S.Paulo informa que os segmentos que possuem alguma dependência de insumos chineses no setor de saúde acenderam o sinal de alerta após a declaração da OMS de emergência internacional pelo coronavírus nesta quinta-feira (30). Além de uma pressão já perceptível sobre os preços de itens de consumo como luvas e máscaras, a indústria farmacêutica fala em preocupação com a capacidade de embarque e até em risco de contaminação de tipos específicos de matéria prima.

A ordem ainda é evitar pânico, segundo Nelson Mussolini, presidente do Sindusfarma (entidade do setor) porque há segurança de estoques altos, mas é preciso estar atento a quanto tempo a crise vai durar. ”As luzes amarelas estão piscando, mas as empresas têm estoque. Não deve haver desabastecimento”, diz.

Entre outros alvos de atenção, Mussolini cita preocupação com a contaminação de produtos biológicos importados da China.

A quinta-feira começou em clima de leilão para alguns importadores de máscaras, segundo Ricardo Cabrera, diretor na Nacional Comercial Hospitalar, distribuidora de materiais hospitalares. Ele afirma ter recebido oferta de R$ 30 por uma máscara que costuma comprar por cerca de R$ 1,50.

Horas depois de recusar a compra, Cabrera diz que a mesma máscara voltou a ser oferecida por R$ 10. Bruno Boldrin, da Abraidi (entidade dos importadores), diz que iniciou um monitoramento entre seus associados para mensurar a escalada de preço.

Please follow and like us:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial