Press "Enter" to skip to content

Com 3º caso de coronavírus, ministro vê possível ‘estresse’ em sistema de saúde

Valor Econômico conta que o Brasil teve ontem o seu terceiro caso confirmado de coronavírus (covid-19), informou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Havia expectativa da confirmação de um quarto caso ainda ontem. Segundo a pasta, o número de casos suspeitos de infecção subiu de 488 para 531 casos, mas não há sinais de circulação interna da doença.

Diante do aumento de casos suspeitos e confirmados, o ministro admitiu que pode haver alguns “estresses” de demanda no sistema de saúde. Ele disse também que “é possível” que a transmissão em maior escala leve o país a registrar casos de mortes pela infecção de pessoas com a saúde vulnerável. De acordo com Mandetta, o coronavírus tem demonstrado ser de alta transmissibilidade, mas com baixa letalidade.

O terceiro caso confirmado no país envolve um colombiano de 46 anos, residente em São Paulo e que viajou em fevereiro para Espanha, Itália, Áustria e Alemanha, antes de retornar ao Brasil.

O paciente sentiu ontem os sintomas respiratórios, como tosse, coriza e dor de garganta, quando procurou atendimento no Hospital Israelita Albert Einstein. Segundo o ministro da Saúde, o colombiano é administrador de empresas e possivelmente estava fazendo um “mochilão” pela Europa devido à quantidade de países que visitou em um curto espaço de tempo.

O quarto caso de contaminação, que pode ser confirmado com exames de contraprova, envolve uma adolescente de 13 anos. Diferentemente dos casos confirmados até agora, a paciente não apresentou sintomas, estando possivelmente ainda no período de 14 dias de incubação do vírus.

A estudante passou por Lisboa e percorreu de trem as cidades italianas de Milão e de Dolomitas em fevereiro. Durante a viagem, ela chegou a passar por procedimento cirúrgico devido a uma lesão muscular. A notificação da doença foi feita pelo hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo.

“Podemos colocar esse caso como atípico. Foi confirmado direto, sem apresentar sintomas”, afirmou o ministro. O exame de contraprova da paciente será feito pelo Instituto Adolfo Lutz.

O Estado de São Paulo continua a ter o maior número de casos suspeitos no país, com 135 registros, segundo o Ministério da Saúde. Na sequência estão Rio Grande do Sul (98), Minas Gerais (82), Rio de Janeiro (55), Santa Catarina (46), Bahia (19), Distrito Federal (18), Ceará (14), Paraná (13) e Mato Grosso do Sul (10).

Já o número de casos descartados, após exame laboratorial, subiu de 240 para 315. Segundo Mandetta, o Brasil ainda não está no estágio de “transmissão sustentada” do covid-19. Isso porque todos os casos confirmados até agora são considerados “importados” — envolveram a infecção de pessoas em viagem a países com alto índice de transmissão do vírus.

O ministro voltou a reclamar da demora da Organização Mundial de Saúde (OMS) em declarar o critério pandêmico para a situação do coronavírus no mundo. Ele explicou que, com isso, a recomendação é de continuar a monitorar “caso a caso” os pacientes infectados ou com suspeita de contaminação e “país a país” com alto índice de contaminação.

Mandetta afirmou que as queixas apresentas não são bem recebidas pela OMS. Disse ainda que o critério pandêmico para o coronavírus levaria o país a adotar medidas de maior precaução. Enquanto isso, apela a recomendações adicionais pautadas pelo “bom senso”.

2 Comments

  1. vurtil opmer vurtil opmer 11 de março de 2020

    I will immediately take hold of your rss feed as I can not to find your email subscription hyperlink or e-newsletter service. Do you have any? Please let me recognize so that I could subscribe. Thanks.

Deixe uma resposta

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial