Press "Enter" to skip to content

Estado defende operação de hospitais da Prevent

A gestão João Doria (PSDB) defendeu ontem o funcionamento de hospitais da rede Prevent Senior, responsável pela maioria dos registros de morte pelo novo coronavírus em São Paulo, destaca o Estadão. Após inspeção no Hospital Sancta Maggiore, a Prefeitura havia solicitado à Secretaria Estadual da Saúde a interdição sanitária de unidades na capital, mas a decisão está pendente. Ontem, o Ministério Público de São Paulo (MPE-SP) também instaurou inquérito civil para acompanhar as medidas adotadas pelo governo do Estado.

Voltada para o atendimento a idosos, a Prevent Senior concentrava 79 das 136 mortes notificadas por coronavírus no Estado, ou 58%, até a terça-feira. Para pedir interdição do Hospital Sancta Maggiore, que faz parte da rede, a Prefeitura alegou o alto número de óbitos e supostas irregularidades encontradas após inspeções realizadas em março. Entre os problemas estariam o isolamento inadequado de pacientes com covid-19 e descumprimento de notificação obrigatória de casos suspeitos.

O ofício da Prefeitura foi encaminhado ao Estado no dia 27.

Questionado sobre o pedido em entrevista coletiva, no entanto, o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, se mostrou contrário à interdição. “Nas primeiras visitas que foram realizadas, algumas modificações tiveram de ser feitas, ajustes. Nada que justificasse o fechamento do hospital.”

Ontem, técnicos das Vigilâncias Sanitária e Epidemiológica do Estado, em conjunto com a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), da Prefeitura de São Paulo, estiveram na unidade do Paraíso do Sancta Maggiore. Foi realizada uma inspeção colaborativa para avaliar protocolos e fluxos de atendimento, notificação de casos de covid-19 e condições técnicas e sanitárias da unidade. A Secretaria de Estado da Saúde está trabalhando na produção do relatório referente à vistoria.

À tarde, a Promotoria de Direitos Humanos instaurou inquérito civil para acompanhar as medidas adotadas pelo governo em relação ao hospital. Segundo a portaria do inquérito, a Secretaria Estadual da Saúde tem prazo de cinco dias para informar quais procedimentos serão aplicados à Prevent Senior. O governo estadual disse que prestará todos os esclarecimentos.

A defesa da Prevent Senior afirmou que “as investigações serão uma excelente oportunidade para esclarecer todas as inverdades divulgadas na imprensa, com interesses escusos, que vão contra os atuais anseios da sociedade”.

One Comment

Deixe uma resposta

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial