Press "Enter" to skip to content

Saiba quais são os cuidados bucais fundamentais na terceira idade

Cirurgiã-dentista da GUM explica como manter uma boa saúde bucal nessa fase da vida

Estabelecido em 1999 pela Comissão de Educação do Senado Federal como o Dia Nacional do Idoso, 27 de setembro é um dia destinado à reflexão sobre a situação dos idosos no Brasil, buscando formas de assegurar os seus direitos e entender as suas dificuldades, devido as transformações no corpo ocasionadas pelo envelhecimento.

Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013, 41,5% das pessoas acima de 60 anos já haviam perdido todos os dentes. “Se repercute a ideia de que conforme vamos envelhecendo é normal a perda dentária. Porém, se forem realizados os cuidados necessários, é sim possível chegar na terceira idade com os dentes saudáveis. Devemos mudar essa antiga concepção e nos conscientizar de que os dentes podem e devem permanecer durante a vida inteira, mas para isso devemos cuidar de nossa saúde bucal. É possível prevenir a perda dentária por meio de uma boa higienização, fazendo a escovação correta e usando fio dental diariamente, uma vez que muitas doenças bucais responsáveis pela perda dos dentes, como a doença periodontal, desenvolvem-se devido ao acúmulo de placa bacteriana, deste modo uma correta higienização, assim como uma dieta saudável, promoverão saúde bucal e vão prevenir doenças como a cárie, gengivite e periodontite.”, aponta Dra. Brunna Bastos, cirurgiã-dentista da GUM , marca americana de cuidado bucal.

Entretanto, mesmo com todos esses cuidados, existem problemas bucais mais comuns nessa fase da vida. A profissional destaca que é recorrente o surgimento de cárie radicular devido a exposição da raiz do dente, assim como pode ocorrer um aumento da sensibilidade, não necessariamente associado à uma lesão de cárie, mas sim a exposição da raiz do dente. “Com o passar dos anos a gengiva vai se retraindo, deslocando-se para cima fazendo muitas vezes que a raiz dos dentes fiquem expostas e, por não apresentarem a proteção do esmalte, pode ocasionar um desconforto, sensibilidade a alimentos quentes, frios ou a doces, o que pode afetar a qualidade de vida do idoso.”, comenta a cirurgiã. Para evitar esses tipos de problemas, a dentista recomenda uma escovação suave, sem força, assim como a utilização de gel dental com flúor, uso diário de fio dental e idas regulares ao dentista. “Deve-se evitar uma escovação brusca e escovas com cerdas duras, pois esse tipo de escovação,entre outros fatores, leva ao longo dos anos a retração gengival e exposição da raiz do dente”, ressalta.

A xerostomia – boca seca – é outro incômodo bem comum na terceira idade. Esse problema é comum nessa fase da vida porque além dos idosos já possuírem uma redução salivar característica da idade, muitos fazem ainda uso de medicamentos que podem levar a hipofunção da glândula salivar. Para combater os sintomas, o primeiro passo é procurar um dentista para o correto diagnóstico, uma vez que o tratamento adequado dependerá da causa do problema. A saliva artificial pode ser utilizada como um substituto da saliva natural, agindo como lubrificante e hidratante, recomenda-se também ingerir muita água e estimular o fluxo salivar mascando chiclete sem açúcar, por exemplo.. “É importante que o idoso procure um profissional, uma vez que a diminuição do fluxo salivar é prejudicial à saúde bucal , favorecendo, por exemplo, lesões de cárie uma vez que a saliva é um mecanismo de proteção. Nesse caso, é importante recorrer ao dentista para que ele recomende o melhor tratamento”, ressalta Brunna.

No caso das próteses dentárias, popularmente conhecidas como dentaduras, podem surgir dúvidas de como higienizá-las corretamente. A especialista alerta sobre a importância da higienização não apenas das próteses, mas também da mucosa , apesar da ausência dos dentes, assim como da língua. “É necessário ter uma escova para a cavidade bucal e outra para a prótese. A escova deve ser macia, devendo para a higienização da prótese utilizar um produto específico, sabão neutro ou então um creme dental de baixa abrasividade, uma vez que os abrasivos podem acarretar em ranhuras e perda do brilho da resina da prótese, favorecendo o acúmulo de placa bacteriana” explica. Sobre o uso noturno da prótese a Dra afirma que não é aconselhado “Aconselha-se não dormir com as próteses para que o tecido possa descansar e se recuperar do trauma físico do contato com a prótese, permitindo que os pequenos vasos sanguíneos dilatem e providenciem a nutrição dos tecidos de suporte da prótese. “, finaliza.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial