Press "Enter" to skip to content

Outubro Rosa: especialistas explicam questões importantes sobre prevenção e saúde da mulher

Ginecologistas e Psicóloga da Alba Saúde e da Iron falam sobre exames preventivos e sinais a se atentar

Outubro chegou e com ele o Outubro Rosa, mês que se tornou referência ao combate e prevenção ao câncer de mama e ações que visam os cuidados com a saúde da mulher como um todo. Por isso, reunimos informações de especialistas que apontam fatores importantes para as mulheres estarem atentas e terem a saúde em dia.

A ginecologista Rachel de Sá, da Alba Saúde, informa que o exame preventivo é uma das formas de assegurar a saúde dos órgãos reprodutores femininos.

“Toda mulher após o início de atividade sexual deve fazer o exame preventivo para que ela não tenha nenhum problema futuro. Ser acompanhada por um ginecologista a partir do momento em que ela iniciar atividade sexual é importante para conversar sobre a melhor forma de prevenção contra a gestação e ressaltar também sobre o uso da camisinha e de DIU”, explica a especialista. A médica ressalta ainda que o uso de preservativo é a única forma de se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis, imprescindível para garantir a saúde da mulher.

Outro ponto importante, segundo a especialista, é observar as secreções vaginais porque elas dizem muito sobre o corpo, que está sempre propenso a pegar infecções e inflamações e por isso, o cuidado sempre deve ser redobrado.

“É importante sempre perceber se está com cheiro ruim ou com alguma alteração. Caso observe alguns desses sintomas, é indicado procurar imediatamente o ginecologista”, ressalta Rachel.

A médica Patrícia Vieira, ginecologista da Iron, detalha mais informações sobre o autoexame de mama, uma das formas de se diagnosticar o câncer de mama, doença que mais atinge mulheres no Brasil e no mundo todo, ficando atrás apenas do melanoma, um tipo de câncer de pele.

“Idealmente a mulher deve manter visitas anuais ao ginecologista que irá realizar exame clínico de palpação da mama e região axilar e solicitar exames de rotina para o rastreio de câncer de mama, como a mamografia e/ou ultrassonografia de mama, conforme seja o caso”, explica a médica.

A especialista ressalta que havendo alguma alteração nestes exames poderá ser solicitado pelo médico uma biópsia que fornecerá um diagnóstico preciso e exames laboratoriais sanguíneos que poderão elucidar marcadores característicos da doença.

“É muito importante que a mulher observe qualquer sinal de alterações em suas mamas como saída de secreção pelo mamilo, pele avermelhada ou com textura alterada ou presença de nódulos. Entretanto, vale lembrar que o autoexame da mama não é mais indicado como avaliação de rotina , devendo ser realizado pelo ginecologista em consulta anual”, explica.

A psicóloga Clenice Araujo, da Alba Saúde também levanta uma questão muito importante sobre o tema. “Infelizmente, algumas mulheres ainda têm vergonha de fazer exames ginecológicos por terem vergonha. Então, nosso papel é incentivar e ajudar essas mulheres a perderem isso, afinal, a falta de exames e dos devidos cuidados pode fazer com que as doenças como o câncer de mama e colo do útero avancem, tendo perdas irreversíveis a saúde e até mesmo a vida das pacientes”, finaliza a especialista.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial