Press "Enter" to skip to content

‘Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia’ traz orientações e dicas para problemas psíquicos e emocionais

Segundo a OMS, Brasil tem maior prevalência de depressão da América Latina e é o país mais ansioso do mundo; 21 renomados especialistas participam do guia

A pandemia de Covid-19 contribuiu para intensificar problemas psíquicos e emocionais vivenciados pelos brasileiros. Para trazer informações úteis aos profissionais de saúde, principalmente os que não são especialistas nesta área, e também à comunidade em geral, chega a partir de 30 de outubro o Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia.

Atualmente, o Brasil apresenta a maior prevalência de depressão da América Latina e é o mais ansioso do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, a solidão é reconhecida pela psiquiatria como um gatilho importante para transtornos de humor em pessoas predispostas. Diante deste cenário e do contexto das muitas incertezas trazidas pelo novo coronavírus, a conscientização, a informação e o diálogo se tornaram ainda mais relevantes no que diz respeito à saúde mental .

O guia conta com a participação de 21 renomados especialistas do Brasil, que a convite da Upjohn, divisão da Pfizer focada em doenças crônicas não-transmissíveis, em parceria com o INI (Instituto de Ciências Integradas), responsável pela organização do Congresso Brain, Behavior and Emotions e com o apoio institucional do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC), desenvolveram um documento fruto de intenso esforço, pesquisa e dedicação.

“O Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia foi construído de forma colaborativa com diferentes especialistas, indicando as melhores práticas para o enfrentamento dos graves problemas de saúde pública nesta área. Por meio de fontes confiáveis e linguagem acessível, trata-se de uma importante ferramenta para ajudar médicos e cuidadores a lidar com os efeitos neuropsiquiátricos da pandemia”, explica Luiz Henrique Fernandes, diretor médico Latam da Upjonh.

O isolamento social – com a distância dos familiares e o rompimento de vínculos -, e o sentimento de luto e de insegurança frente a um futuro incerto e desafiador são aspectos impactantes tanto para os especialistas, médicos de diferentes áreas, cuidadores e a sociedade em geral. “Foi pensando nisso que desenvolvemos este guia com dicas e orientações que abordam questões específicas para cada período de vida, da infância ao envelhecimento, trazendo soluções plurais a este desafio singular”, afirma Luiz Vieira, gerente médico da Upjohn.

Com o intuito de fortalecer as redes de apoio entre profissionais de saúde e a população durante o período de pandemia, o guia aborda mais de dez temas, como a dificuldade para dormir, a irritabilidade das crianças ou a piora dos sintomas de ansiedade. Também foi explorado como a atividade física, dieta equilibrada e meditação podem impactar no bem-estar e na saúde mental das pessoas. E, ainda, os benefícios da telemedicina como estratégia de melhora dos cuidados de saúde neste momento e o cuidado com a saúde mental dos profissionais de saúde.

“O legado deste guia será percebido em vários níveis, desde a atenção primária ao atendimento prestado por especialistas. É um trabalho com um olhar sensível e sistêmico sobre a importância do cuidado mútuo”, conta Luis Augusto Rohde, professor titular do Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e coordenador geral do Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia. “O conteúdo foi elaborado de forma preventiva, afinal é muito importante ficarmos atentos aos efeitos da pandemia nos próximos anos”, completa Rohde.

O material estará disponível para download no site: http://www.guiasaudemental.com.br.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial