Press "Enter" to skip to content

Com início da 2ª onda da pandemia, grupos de risco e recém-nascidos devem manter exames e vacinas em dia

Delivery de análises clínicas feito por ISA Home Lab facilita logística de quem precisa se manter em casa

O isolamento social e a crise causada pelo coronavírus, vem mudando a rotina das pessoas. Atualmente, com o número de casos aumentando em quase todos os estados e o início da 2ª onda da pandemia, é importante manter em dia exames de rotina e vacinas, que são atividades essenciais, principalmente para crianças recém-nascidas e o chamado “grupo de risco”, que engloba pessoas com doenças pré-existentes ou autoimunes.

“Um diabético, um hipertenso ou alguém com colesterol alto, por exemplo, precisa estar em dia com os exames e medicações. Enquanto um recém-nascido tem uma bateria de exames e vacinas imprescindíveis para realizar”, explica David Pares, médico e sócio-fundador da ISA Home Lab, laboratório 100% digital.

Mas como estar em dia com exames e vacinas sem se expor? A ISA Home Lab faz delivery de análises clínicas exatamente para facilitar a vida da população, e nesse momento, auxiliar ainda mais o grupo de risco a se manter em casa. Além disso, tem preços acessíveis e uma plataforma que permite que tudo seja feito a distância de forma ágil, sem burocracia.

Dentre os mais de mil exames disponíveis, cinco deles são os mais solicitados pelos médicos para realizar um check-up ou acompanhar determinadas doenças. E entre as vinte vacinas existentes na plataforma, cinco são essenciais para grupos de risco e crianças. Confira:

Exames:

• Hemograma – Analisa informações específicas sobre os tipos e quantidades dos componentes no sangue, como os Glóbulos vermelhos (hemácias), Glóbulos brancos (leucócitos) e Plaquetas (coagulação sanguínea). “É solicitado por um médico para confirmar um diagnóstico, além de monitorar algum tratamento que está sendo feito pelo paciente”, explica David.

• Glicemia – Mede o nível de glicose (taxa de açúcares) na corrente sanguínea, feito a partir de uma coleta do sangue venoso e de um período de 8 horas de jejum. Faz parte de muitos exames de rotina e é utilizado para detectar doenças como hipoglicemia, hiperglicemia e também para o diagnóstico e acompanhamento da diabetes.

• Colesterol Total – Também sempre incluso em exames periódicos de rotina, mostra os níveis de colesterol triglicérides na corrente sanguínea, ajudando a determinar o risco de obstrução das artérias por formação de placas de gordura. “A única forma conhecida de diagnosticar a hipercolesterolemia é através desse exame e ao detectar o problema precocemente, é possível prevenir diversas doenças, como AVC e infarto, por exemplo”, aponta o médico.

• Urocultura – exame de urina que identifica a presença de bactérias e pode indicar a infecção urinária.

• Vitamina D – Mede os níveis da vitamina no corpo, que além de ter como fonte alimentos muito específicos e escassos, só pode ser adquirida pela exposição ao sol. A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) incentiva a exposição direta ao sol de partes do corpo que geralmente ficam cobertas, como pernas, costas e barriga, por 5 a 10 minutos todos os dias, sem sobrecarregar áreas que já são expostas ao sol diariamente. “Se já vivíamos um déficit coletivo de Vitamina D nas cidades, devido a pouca exposição ao sol, com o isolamento social os índices podem estar ainda mais baixos, e precisam ser checados por um médico para acompanhamento”, afirma Pares.

Vacinas

• Gripe – A vacina contra a gripe protege contra os vírus da Influenza. “Como os mesmos sofrem mutação rapidamente, todo ano é desenvolvida uma nova vacina e, por isso, alguns grupos necessitam reforçar anualmente”, explica o especialista.

• Tríplice Viral – Combate o sarampo, Caxumba e Rubéola. É indicada como rotina a partir dos 12 meses de idade podendo, em casos de surtos, ser antecipada para a partir dos 6 meses de idade. Como nessa faixa etária o risco de falha vacinal é maior, mantêm-se necessárias mais 2 doses após 12 meses de idade.

• Hepatite A e B – Previne a infecção dos dois tipos de vírus e é indicada para todas as idades, desde que não tenha sido imunizado, ainda. Crianças podem ser vacinadas após 12 meses e idosos podem precisar de reforço caso haja situações de risco aumentado.

• Febre Amarela – previne contra a doença infecciosa transmitida por mosquitos vetores em locais rurais e urbanos. Pessoas a partir de 9 meses de idade devem tomar a primeira dose, com reforço aos 4 anos.

• Tríplice Bacteriana – Também conhecida como dTpa, previne três doenças: Difteria, tétano e coqueluche. É indicada para crianças a partir de 4 anos, além de adolescentes, adultos e idosos.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial