Press "Enter" to skip to content

Plano de saúde empresarial da Sami passa a aceitar contratos de Microempresário Individual

Empresa também anuncia ampliação na rede credenciada e venda 100% digital

Com a pandemia, o número de Microempreendedores Individuais (MEIs) disparou no Brasil. Segundo a Receita Federal, 11,2 milhões de CNPJs estavam registrados como MEI até a terceira semana de dezembro, um aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior. Entre março e dezembro, o número de novos CNPJs no país teve um salto de 1,3 milhão. Para os especialistas, a tendência deve continuar, com muitos trabalhadores informais se regularizando no regime de MEI.

Para apoiar essa classe crescente de trabalhadores, a healthtech Sami está lançando a opção de plano de saúde empresarial para apenas uma vida. “Nós também somos empreendedores e nos vemos na obrigação de ajudá-los nessa jornada. Os MEIs têm sido uma categoria em franca expansão, mas são um público desassistido quando se trata de saúde. Nós temos a tecnologia e a qualidade médica para garantir o melhor atendimento para eles, e nos estruturamos para ser sua primeira opção”, afirma Guilherme Berardo, cofundador e CEO da startup.

Embora mais de 60% dos planos de saúde vendidos no Brasil sejam para empresas, é padrão do mercado exigir no mínimo duas pessoas – algo que a própria Sami praticava. “Os MEIs podem contratar planos de acordo com a legislação, mas dificilmente encontram alternativas, pois a imensa maioria não aceita contratos com apenas uma vida. É uma escolha de negócio desses planos, que entendem que tais empresas podem ter um custo maior e a receita não compensaria os custos de venda e utilização. Mas nós entendemos que precisávamos acolher esse público”, explica Vitor Asseituno, médico cofundador e presidente da Sami.

Questões burocráticas também constituem um entrave para a contratação de planos de saúde por empresas menores. “A regulação exige que as operadoras atualizem todo ano os documentos que comprovam a legitimidade do MEI e que a empresa tenha pelo menos seis meses de abertura, o que é um desafio de tecnologia e processos que a maior parte das operadoras ainda não conseguiu vencer”, diz a médica Martha Oliveira, ex-Diretora da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e Advisor da Sami. Em janeiro de 2018, a agência regulamentou o plano para Microempreendedores Individuais (MEIs).

Novidades no plano Sami Sol

A Sami anuncia ainda outras novidades. O Sami Sol, primeiro plano de saúde da Sami, agora também é oferecido na modalidade apartamento e ganhou uma expansão da sua rede de parceiros clínicos.

Além da BP Paulista e do Labi, anunciados em novembro, o Sami Sol agora oferece BP Penha, Hospital Santa Izildinha (como maternidade, pronto-socorro e pronto-atendimento) e a rede americana de clínicas DaVita. Já o Sami Sol Apartamento oferece, além desses, as maternidades Santa Joana e Pro Matre Paulista.

Ambos são ofertados pelo modelo coletivo empresarial, voltados para pessoas com CNPJ ativo e residentes na cidade de São Paulo. Além de oferecer atendimento presencial e por telemedicina, os planos da Sami oferecem um Time de Saúde composto por um(a) médico(a), um(a) enfermeiro(a) e até três técnicos (as) de enfermagem, responsáveis por fazer o acompanhamento integral do quadro clínico de cada membro.

A contratação é totalmente digital: basta acessar o site https://www.samisaude.com.br e realizar o cadastro. O pagamento pode ser realizado via cartão de crédito ou boleto bancário.

Os dois planos oferecem ainda uma rede de hábitos saudáveis composta pelo Gympass e Vitalk sem custo adicional para os primeiros 1.000 clientes.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial