Press "Enter" to skip to content

Medo, fobia e ansiedade, saiba como identificá-los

Você já entrou em um elevador e se sentiu mal por estar em um lugar fechado, ou esteve no meio de uma multidão e ficou agoniada? Essas sensações distintas podem representar diferentes emoções.

Para a psicóloga Fabiane de Faria devemos dar conta de que um mesmo sentimento pode ser bom ou ruim.

“O medo, para a maioria das pessoas, é visto como algo negativo e elas querem logo se livrar dele. Mas também é saudável tê-lo, pois pode ser uma forma de proteção. Por exemplo, nos impedir de cair em um precipício, afinal, sem a sua presença seríamos capazes de dar muitos passos além do permitido”, comenta a psicóloga que é especialista em Terapia Cognitivo Comportamental e idealizadora da plataforma on-line aterapia.

Fabiane pontua sobre a importância de compreender o quanto a vida fica comprometida com essas reações.

“Elas te protegem ou te paralisam? Você vai deixar de visitar seus filhos, que moram em outra cidade, por causa do avião? Você chega ao trabalho atrasado porque evita o elevador e sobe pelas escadas? Viver medindo o que nos protege do que nos congela é o nosso grande desafio”, explica.

Mas você sabe diferenciar o medo, a fobia e a ansiedade?

Fabiane esclarece a seguir. Confira:

Medo

É uma emoção que apesar de ser considerada ruim pela maioria das pessoas, nem sempre é. Não pode ser considerada patológica e, em alguns casos, pode nos proteger. É um sentimento comum ao ser humano, afinal, todos nós sentimos medo de alguma coisa. 

Caso o medo seja patológico e chegue a impactar a sua rotina, É possível superá-lo através do que chamamos de exposição gradual. Com a ajuda de um profissional capacitado, você expõe aquele paciente, de forma gradual e acompanhada, a essas situações, mas sempre entendendo as suas crenças e limitações. A partir daí, conseguimos atingir um estado de consciência das suas reações, até que ele se sinta preparado pera estar cada vez mais perto do que lhe causa esse sentimento.

Fobia

É um medo patológico, pois é constante e sem fundamentos. Nela, se tem uma reação desproporcional ao que realmente aconteceu. A fobia específica se caracteriza pelo medo e a ansiedade diante de situações ou objetos particulares, que geralmente são evitados quando possíveis. Caso essa exposição ocorra, pode-se desenvolver a ansiedade de forma rápida e ocasionar o ataque de pânico. São exemplos a Agorafobia (medo de espaços abertos ou multidões), fobia social, claustrofobia, acrofobia (medo de altura), aracnofobia (medo de aranha). Em todas as situações existe um temor exagerado e algumas reações físicas, como taquicardia, suor, vermelhidão no corpo e perda de controle.

Ansiedade

É um transtorno, uma patologia que tem como um dos principais sintomas o medo excessivo e constante preocupação.  A ansiedade se torna prejudicial a partir do momento em que te paralisa e passa a causar danos à sua rotina. Quando você sente que suas atividades estão limitadas, é hora de procurar ajuda.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial