Press "Enter" to skip to content

Como lidar com a saúde mental dos colaboradores no trabalho

*Por Milene Rosenthal
Em pleno 2021, o tema “saúde mental” ainda é visto com tabu e preconceito no Brasil. Problemas psicológicos são interpretados como frescura ou como doenças de pessoas “dramáticas”. Por reações como essa, é que muitas pessoas evitam buscar por terapias, preferindo cuidar das suas questões de maneira isolada, sem dar a devida atenção. No entanto, como já sabemos, as consequências desse descaso afetam a rotina no ambiente do trabalho.

Segundo uma pesquisa da Robert Walters, empresa especializada em recrutamento, 88% dos profissionais consideram importante – na hora de avaliar uma nova oportunidade no mercado – empresas oferecerem políticas de saúde mental. Ainda conforme o estudo, 62% dos entrevistados disseram que ter algum líder na companhia falando abertamente sobre o assunto os deixaria mais confortáveis, caso fosse preciso uma conversa.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a prevalência de depressão ao longo da vida no Brasil está em torno de 15,5%, ou seja, aproximadamente 32 milhões de pessoas irão sofrer com a doença em algum momento. Para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada pela consultoria Falconi, que tem foco em gestão, aponta que 37% das companhias registraram aumento de doenças psiquiátricas como depressão, síndrome de burnout e distúrbios emocionais durante o último ano, com a chegada da pandemia.

Diante dos números, está claro que as empresas precisam refletir se estão proporcionando um ambiente seguro aos funcionários e solicitando demandas que ocupam apenas o horário comercial. Nos dias atuais, há muitos relatos de colaboradores exaustos com a rotina de trabalho intensa. Além disso, por se tratar de pessoas e relacionamentos, é fundamental que a empatia esteja presente no ambiente corporativo. Essa é uma virtude valiosa, já que todos nós somos suscetíveis a erros, frustrações, principalmente sob pressão.

As companhias precisam estar abertas a essas discussões e compreender a dor do próximo, diminuindo os desentendimentos, aumentando a produtividade e melhorando o trabalho em equipe. Afinal, é preciso que os funcionários estejam bem e tenham prazer em desenvolver as suas funções. Estamos lidando com seres humanos e temos que tratá-las como indivíduos únicos, que tem dificuldades e precisam de ajuda.

* Milene Rosenthal é cofundadora, psicóloga e responsável técnica da Telavita, clínica de saúde mental online que oferece consultas de psicologia e psiquiatria.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial