Press "Enter" to skip to content

Quais os cuidados que hipertensos devem ter ao contrair a covid-19?

Um ano após o início da pandemia, cardiologista do Hospital 9 de Julho explica quais sinais devem ser observados para aqueles que estão com o vírus e pacientes que já estão em fase final de tratamento

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) divulgada em novembro do ano passado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente temos mais de 38,1 milhões de brasileiros com 18 anos ou mais que sofrem de hipertensão. O número, que é 2,5 pontos percentuais maior do que o registrado em 2013, última edição da pesquisa, preocupa pela crescente no que é um dos principais grupos de risco para covid-19. Na última segunda (26), com o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, lembramos a importância em reforçar os cuidados que hipertensos precisam ter ao contrair o vírus. O Dr. Alex Mastiguin, cardiologista do Hospital 9 de Julho, explica em sete tópicos quais são esses cuidados, que estão relacionados principalmente a manutenção dos medicamentos para controle da hipertensão.

• Para aqueles pacientes hipertensos que estão com a covid-19 controlada, deve ser observado a elevação dos níveis pressóricos e aumento da frequência cardíaca, alterações que podem ser transitórias e, se em alto nível, indicam um alerta.

• O principal ponto de atenção que hipertensos com covid-19 devem observar é a pressão elevada mesmo utilizando as medicações habituais. Neste caso, o médico deve ser procurado o quanto antes.

• O melhor tratamento para o paciente hipertenso com covid-19, mesmo após um ano de pandemia, ainda é a manutenção das medicações anti-hipertensivas e acompanhamento médico.

• Para os pacientes que estão nos últimos dias de tratamento da covid-19, os hábitos saudáveis devem ser reforçados no retorno para a rotina, com uma alimentação com pouco sal, pouca gordura, atividades físicas moderadas para evitar o ganho de peso e não fumar.

• Não existe um tempo específico para determinar que o paciente hipertenso terá uma sequela provocada pela covid-19. Isso vai depender de cada paciente, e se ele possui outras comorbidades, como diabetes mellitus, doença renal, histórico de infarto, entre outras, que podem determinar o tempo de recuperação.

• Para os pacientes idosos, o alerta sobre os valores da pressão arterial é dobrado, já que podem apresentar outras comorbidades além da hipertensão, que devem alterar esse índice.

• Por fim, também não existe nenhuma conduta precoce para tratamento de covid-19 em pacientes hipertensos.

Imagem: Hand photo created by rawpixel.com – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial