Press "Enter" to skip to content

Grupo NotreDame Intermédica cria programa para tratamento da Síndrome Pós-Covid

Com protocolo médico desenvolvido pelo Grupo, os pacientes acometidos pela síndrome poderão receber atendimento multidisciplinar para tratamento de sequelas transitórias ou crônicas da Covid-19

O Grupo NotreDame Intermédica (GNDI), maior operadora de saúde do Brasil, iniciou um programa médico para tratamento da Síndrome Pós-Covid, voltado para pacientes com alta hospitalar que desenvolveram sequelas transitórias ou crônicas da doença.

Pioneiro em Medicina Preventiva desde 1982, o Grupo fortaleceu suas ações com promoção da saúde e prevenção, e monitorou mais de 140 mil beneficiários em isolamento domiciliar acometidos pela doença desde março de 2020.

Estudos próprios e mundiais apontam que a maioria dos pacientes que tiveram Covid-19 apresentam sequelas leves e graves, e 30% dos pacientes com alta hospitalar sofrem uma nova internação devido sequelas subsequentes da Covid-19.

A Síndrome Pós-Covid é caracterizada por um conjunto de sinais e sintomas que podem persistir por meses após o diagnóstico da Covid-19, envolvendo sequelas respiratórias, hematológicas, cardiológicas, neurológicas, psiquiátricas e entre outras. Estes sinais e sintomas podem persistir por meses após o diagnóstico e, entre os mais comuns, destacam-se dores de cabeça, perda de memória, cansaço, fraqueza muscular, tosse persistente, queda de cabelo e até doenças mais graves, como insuficiência cardíaca, pulmonar e renal.

“Esse projeto é mais uma demonstração do nosso pioneirismo em Medicina Preventiva. O “Programa Síndrome Pós-Covid” vai atender, exclusivamente, os pacientes que receberam alta hospitalar e persistem com algumas manifestações clínicas da doença. Normalmente, essas pessoas acometidas pela síndrome precisam buscar, por conta própria, a ajuda de diversos especialistas e nós concentramos todo o atendimento necessário dentro dos nossos centros de Medicina Preventiva”, comenta Irlau Machado Filho, presidente do Grupo.

Em funcionamento desde 20 de maio, o “Programa Síndrome Pós-Covid” já contatou mais de 500 pacientes que foram selecionados de acordo com os critérios de elegibilidade e receberam o encaminhamento médico pelo Grupo na cidade de São Paulo e, a partir de 21 de junho, será estendido para outras cidades.

Dentro de uma coordenação do cuidado e por meio da acessibilidade no atendimento, o programa reunirá médicos de diversas especialidades para o tratamento em tempo indeterminado das sequelas, dispondo do teleatendimento para consultas, fisioterapia pulmonar ou física, nutrição, acompanhamento psicológico e outros procedimentos clínicos, que poderão ser feitos em casa pelo paciente ou em atendimento presencial nos Centros de Medicina Preventiva do GNDI.

“Criamos um método humanizado para atender esses pacientes vítimas da Síndrome Pós-Covid. A elaboração dos protocolos de atendimento foi feita por meio de estudos e conceitos internacionais para tratar essa população acometida, que precisa de uma série de atendimentos específicos para se recuperar por completo da doença. Estamos oferecendo um tratamento único e exclusivo para a melhor recuperação de nossos pacientes”, explica o Dr. Walter Moschella Junior, diretor médico da Medicina Preventiva do GNDI.

Imagem: Hand photo created by alexeyzhilkin – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial