Press "Enter" to skip to content

Benefícios da nutrição no tratamento de pacientes com câncer

Nutricionista do Hospital São Cristóvão Saúde ressalta como uma alimentação saudável pode ser uma importante ferramenta durante tratamentos oncológicos

Uma alimentação balanceada é benéfica tanto para aspectos físicos, quanto mentais. Bons hábitos geram mais disposição para tarefas diárias e trazem melhorias para a autoestima. Porém, quais seriam os impactos de uma refeição equilibrada na rotina de pacientes oncológicos?

O paciente diagnosticado com câncer requer atendimento multidisciplinar e individualizado. Além do oncologista, é importante o acompanhamento de um nutricionista para traçar planos alimentares individuais e garantir que todos os nutrientes estejam inclusos no cardápio. A nutricionista Cintya Bassi Souza, coordenadora dos Serviços de Nutrição e Dietética do Grupo São Cristóvão Saúde, revela esta ser uma das maneiras mais eficazes de evitar o câncer: “aliada a atividades físicas, a alimentação deve ser baseada em alimentos naturais, rica em vegetais e pobre em ultraprocessados (industrializados)”, aponta.

O ideal é buscar suporte ao receber o diagnóstico, monitorando a dieta ao longo de todas as etapas do processo, que pode envolver cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou transplante, por exemplo. “É de extrema importância evitar a desnutrição, pois compromete a recuperação e aumenta o risco de infecções. Ao menor sinal, uma suplementação junto ao nutricionista é indicada”, explica Cintya. “Em caso de náuseas e vômitos, evite ingerir líquidos com as refeições, coma em pequenas porções a cada três horas e opte por alimentos secos como torradas, biscoitos sem recheio e pães, frutas cítricas e banana nanica”, sugere a nutricionista.

Os alimentos podem ainda conter microrganismos que causam infecções. Pensando no risco de diminuição da imunidade, por conta da agressividade dos procedimentos, “é preciso realizar a higienização das mãos até o antebraço, além da mesa e bancadas da cozinha, com água e sabão. Os hortifrutis devem ser lavados em água corrente, pra tirar a sujeira visível e devem permanecer de molho em solução (1 litro de água + 1 colher de bicarbonato ou água sanitária) por 15 minutos, seguido de um novo enxágue em água corrente”, informa Cintya.

Os medicamentos fortes podem causar mucosite, que são inflamações na boca, faringe e todo trato gastrintestinal. “Deve-se evitar comidas condimentadas, quentes, secas, duras e ácidas. Há maior tolerância de purês, caldos e sopas em temperatura ambiente, além dos alimentos frios como sorvetes, shakes, sucos e gelatina”, ressalta a especialista, como forma de poupar esforço na mastigação. Veja abaixo uma lista de recomendações de alimentos:

• Azeite de oliva extravirgem;

• Frutas oleaginosas, como castanha, amendoim, nozes e abacate;

• Carboidratos complexos, como pães, massa e arroz integral, farinha de aveia, frutas e hortaliças;

• Fontes proteicas de boa qualidade, como leite e derivados desnatados, carnes magras e grãos;

• Alimentos frescos e não processados;

• Muita água, para garantir melhor aproveitamento dos nutrientes e um bom funcionamento intestinal .

Em contrapartida, evite embutidos, frituras, pele de aves, refrigerantes, doces, e industrializados, pois são fonte de gordura saturada e açúcares. Além de muito calóricos, trazem poucos nutrientes e benefícios ao organismo. Dessa forma, com quadro nutricional adequado, o paciente vai responder de forma muito mais positiva e possivelmente terá menos efeitos colaterais.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial