Press "Enter" to skip to content

Tecnologia e combate à Covid-19: Sharecare explica a relação

Para pensar sobre tecnologia e combate à Covid-19, é preciso contextualizar o enorme impacto da pandemia na transformação digital. O processo, já em ritmo acelerado, mudou de dinâmica e ficou ainda mais rápido.

Em um curto espaço de tempo, profissionais de saúde de várias áreas se viram diante da necessidade de adoção de tecnologias para interação remota, certificados digitais, entre outras ferramentas. Ao mesmo tempo, foi preciso se preocupar com novos protocolos e procedimentos, fundamentais para prevenir o contágio.

Depois de mais de um ano, descobrimos muito sobre a propagação do Sars-CoV-2 e experimentamos soluções tecnológicas que ninguém poderia imaginar disponíveis tão cedo, muito menos na proporção ocorrida.

O que podemos concluir dessa experiência? Como essa relação parece ter mudado para sempre o nosso modo de vida? É o que a Sharecare, ecossistema da saúde que combina prevenção, atenção primária, telemedicina e soluções digitais, vai responder para você nas próximas linhas.

Como a tecnologia tem apoiado o combate à Covid-19?

A primeira e imediata reação da população, logo que a pandemia foi noticiada, foi permanecer em casa, evitar as visitas ao pronto-socorro e tentar entender o que estava acontecendo.

Mudamos nossa rotina e hábitos. No campo da saúde, começamos a tomar providências para o atendimento dos casos. Foram instalados serviços de telemedicina, principalmente a teleconsulta, permitindo o acesso às mais diversas especialidades, proporcionando mais segurança. A tecnologia, antes vista como robotizada e mecânica, se apresentou como o oposto disso. Com ela, pudemos estabelecer um alto nível de humanização.

Fizemos isso com segurança digital e atenção especial aos pacientes. As iniciativas abrangem o atendimento psicológico para quem tinha dificuldade de lidar com o isolamento, o incentivo ao contato remoto entre parentes e seus internados e o desenvolvendo vacinas e estudos em tempo recorde, com alta eficiência.

Os excelentes resultados que conquistamos podem não estar evidentes para muitas pessoas, mas o fato é que a comunidade científica realizou feitos importantes, com um desempenho que ainda não tínhamos alcançado ao longo da história.

Ainda que eles não tenham sido realizados na mesma proporção e com o mesmo efeito em todo o mundo, o resultado vai beneficiar todos, mesmo que cada país e região em tempos diferentes.

Por que essa transformação digital na saúde tende a permanecer mesmo depois da crise?

Um dos efeitos mais marcantes da digitalização da saúde é que ela desburocratiza o sistema, seus processos e procedimentos. A simples emissão de uma receita digital opera uma revolução, facilitando o compartilhamento dos dados, o controle e o acesso a medicamentos e exames.

Além disso, a aceleração da transformação digital oferece novas possibilidades para algumas tecnologias ainda mais impactantes, como os diagnósticos digitais, o monitoramento remoto de pacientes crônicos e, principalmente, a ampliação do acesso à saúde.

Muitos procedimentos ainda precisarão ocorrer na forma presencial. Por isso, não podemos ter a ilusão de que as novas tecnologias solucionarão sozinhas o problema de acesso à saúde, democratizando-o de forma plena em um país continental como o Brasil.

Ao mesmo tempo, depois da experiência que vivemos, não dá para negar o potencial das novas tecnologias em proporcionar ganhos importantes nesse sentido.

Quais são as tecnologias viáveis na saúde pública para o combate à Covid-19?

Desse ponto de vista, precisamos considerar soluções viáveis, que possam produzir resultados humanizados e de saúde baseada em valor, o que implica disponibilizar o recurso certo para a pessoa certa.

Ou seja, o objetivo deve ser implementar a tecnologia como uma ferramenta capaz de solucionar problemas, entregando um valor superior a um menor custo.

Gerenciamento de dados remotos

Nesse contexto, a tecnologia no pós-pandemia é fundamental para garantir a segurança das pessoas e dos dados. Em meio a uma crise, o fluxo de dados tem um papel determinante na gestão dos problemas.

Com uma comunicação eficaz e garantia de privacidade, podemos compartilhar e comparar dados diversos, em tempo real e em grande volume. Com recursos de armazenamento em nuvem, inteligência artificial e alta capacidade de processamento, essa comparação de dados pode ser feita em segundos, produzindo conclusões e avaliações muito mais confiáveis e precisas.

Ligue Saúde

Ligue Saúde é uma solução da Sharecare que permite uma resposta rápida a dúvidas sobre questões de saúde diversas, desde as mais simples, como o uso de medicamentos, até as mais complexas, que envolvem o encaminhamento para o atendimento médico presencial. Os resultados dessa eficiência favorecem tanto a qualidade de atendimento ao paciente quanto a diminuição de custos assistenciais

A falta de informação e os hábitos fazem com que muitos pacientes se dirijam ao pronto-socorro sem necessidade ou busquem agendar consultas sem uma indicação prévia sobre a especialidade adequada ao problema de saúde enfrentado, por exemplo.

Dentre várias soluções aplicadas à Saúde 4.0, o Ligue Saúde proporciona resultados impressionantes na qualidade de vida do paciente e na diminuição de custos.

Com uma equipe formada por enfermeiros e médicos, os encaminhamentos funcionam com mais eficiência. As ações a serem tomadas são estabelecidas por quem tem conhecimento para avaliar cada caso.

Nesse contexto, é possível determinar quando um medicamento pode resolver um problema imediato, sem a necessidade de engrossar as filas de atendimento. E, quando necessário, é enviada uma ambulância para deslocamento do paciente, evitando o agravamento do quadro clínico.

Com mais de 12 milhões de chamadas por ano, o Ligue Saúde ainda garante um registro detalhado com dados dos atendimentos. Eles são disponibilizados em tempo real, com a preservação da privacidade dos pacientes e proporcionando alta segurança no compartilhamento. Isso permite análises aprofundadas e reveladoras.

Com base nelas, é possível identificar gargalos de atendimento, definir prioridades e trabalhar para uma melhora sistêmica da operação, estabelecendo critérios para ações preventivas.

Para terminar, vale a pena comentar sobre o quão promissores podem ser os resultados da adoção de tecnologia e combate à Covid-19. Pesquisas e estudos efetuados em tempo recorde, inclusive o desenvolvimento das vacinas, não poderiam ser executados com a mesma agilidade e segurança sem os recursos da atualidade.

Imagem: Technology photo created by rawpixel.com – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial