Press "Enter" to skip to content

Julho verde: especialista fala da importância da conscientização do câncer de cabeça e pescoço em tempos de pandemia

Conforme a SBCCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e pescoço) e o INCA (Instituto Nacional de câncer), até o final deste ano, de 40 a 50 mil brasileiros vão receber o diagnóstico da doença

O mês de julho foi escolhido para a conscientização do câncer de cabeça e pescoço. O Julho Verde, campanha nacional, visa aumentar a divulgação das informações para que a população conheça melhor os sintomas, tratamentos e a importância do diagnóstico precoce da doença.

O médico especialista em cirurgia de cabeça e pescoço, Pedro Tolentino, do Hospital Anchieta de Brasília, explica que este é um tipo de enfermidade maligna, que afeta a Cavidade oral (conhecida como boca), orofaringe (conhecida como garganta), laringe (órgão responsável pela voz), hipofaringe (região posterior à laringe), seios da face, glândulas salivares (Parótida, submandibular, sublingual), glândula tireoide e paratireoide e pele da região.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, a SBCCP, até o final deste ano, de 40 a 50 mil brasileiros serão acometidos pela doença . Entre os tipos mais frequentes nas mulheres, está o de tireoide, que deve contar com cerca de 12 mil novos casos . Já, em homens, o câncer de boca deve ser o mais registrado, com 11 mil diagnósticos e o de laringe, uma soma de 6,5 mil casos.

Os números são alarmantes. Outro dado, do Instituto Nacional do Câncer, o Inca, mostrou que, em 2020, o câncer de cavidade oral ocupou a 5ª posição entre todos os tipos que afetam o público masculino e, o câncer de tireoide esteve na mesma posição em mulheres. Apenas no Distrito Federal, espera-se uma incidência de câncer de boca, laringe e tireoide de 360 novos casos a cada 100.000 habitantes para este ano.

O especialista, do Hospital Anchieta, ressalta que é fundamental conhecer alguns dos sinais e sintomas que podem estar relacionados a esse tipo de câncer. “A doença pode se manifestar como feridas na boca que parecem aftas que não cicatrizam em até duas semanas, rouquidão que demora mais de duas semanas para melhorar, principalmente em tabagistas e etilistas (combinação esta que deixa em até 6x maior a incidência desta doença), nódulos no pescoço que não existiam ou apresentam crescimento”, explica Dr. Pedro.

O médico pontua que os principais fatores de risco para os tumores de Cabeça e Pescoço são: o tabagismo , o consumo excessivo de álcool, as infecções pelo papiloma vírus humano, o HPV, além de traumas crônicos na mucosa oral e exposição solar que é o principal fator de risco para o câncer de pele.

Mas, como prevenir?

Tolentino explica que a prevenção dessas doenças compreende a mudança de alguns hábitos, como parar de fumar, assim como interromper o uso de bebidas alcoólicas, praticar sexo seguro, manter bons hábitos de higiene oral, como ir ao dentista duas vezes ao ano, e realizar a higiene oral 3x ao dia. “Vacinação contra o HPV também previne contra o câncer de garganta, além da utilização de filtro solar e não se expor a luminosidade solar em horários de maior incidência do mesmo”, acrescenta.

O oncologista destaca ainda que é de extrema importância procurar um profissional qualificado para que possa ser realizada uma avaliação adequada e diagnóstico correto de preferência em estágio inicial. “O tratamento nas fases iniciais da doença confere excelentes resultados, com grandes possibilidades de cura, pois o tempo é extremamente importante, pois ao se fazer o diagnóstico precoce, as chances de cura são muito maiores”, finaliza.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial