Press "Enter" to skip to content

Planos de saúde empresariais registram crescimento de 1,27 mi de beneficiários em 12 meses

Informativo do IESS identifica que, no trimestre, alta foi de 502 mil vínculos nos planos empresariais. Mercado, como um todo, cresceu 2,9% em 12 meses, com 1,33 mi de novos beneficiários, totalizando 48,14 milhões de pessoas

Os sinais de retomada econômica, especialmente nos setores da indústria e de serviços, podem ser sentidos no mercado de planos de saúde. O informativo Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), constata que, em maio desse ano ante o mesmo mês do ano passado, 1,27 milhão de beneficiários ingressaram em planos de saúde médico-hospitalares empresariais – aqueles que são vinculados ao CNPJ das empresas e, na maioria das vezes, concedido aos funcionários -, crescimento de 4%. No trimestre, em maio ante fevereiro, a variação foi positiva em 1,6%, ou 502,6 mil novos vínculos.

O mercado de planos de saúde, como um todo, registrou crescimento de 2,9% em 12 meses, ou 1,33 milhão de novos beneficiários. Alguns fatores ajudam a entender o aumento no número de beneficiários, explica José Cechin, superintendente executivo do IESS.

“Parte desse crescimento está ligado ao acréscimo no número de novos empregos com carteira assinada. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Brasil abriu mais de 280 mil vagas de trabalho formais em maio”, cita Cechin. “Em muitos setores, os contratos coletivos também preveem o benefício do plano de saúde.”

Levantamento realizado pela equipe de pesquisadores do IESS constatou que, em 12 meses, o saldo do Caged foi de 2,58 milhões de novos empregos no País. No período, a indústria respondeu por 635,96 mil vagas adicionais, enquanto o segmento de serviços representou acréscimo de 837,97 mil contratações.

Na comparação trimestral, maio ante fevereiro, o saldo do Caged foi de 574 mil empregos, sendo 104,5 mil novos postos na indústria e 259,75 mil em serviços.

Outro motivo que explica o salto dos planos empresariais se refere aos contratos com até 29 vidas. Nesse segmento, empreendedores e pequenos empresários podem contratar planos. Além desses, há que se registrar o elevado número de novas inscrições como Microempreendedores Individuais (MEI), que também podem contratar plano de saúde empresarial.

“Na pandemia, contar com a segurança de um plano de saúde ganhou maior relevância para as pessoas. E no processo de potencial recuperação da economia, a saúde suplementar sente os efeitos, como demonstra nosso informativo”, observa Cechin.

A íntegra da NAB está disponível em www.iess.org.br.

Imagem: Business photo created by rawpixel.com – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial