Press "Enter" to skip to content

8 coisas que o Médico de Família faz por você e talvez você não saiba

Pré-natal, tratamento distúrbios do sono e rastreio de câncer são algumas das atribuições dos especialistas que atuam com atenção primária à saúde

Tradicionalmente utilizada nos melhores sistemas de saúde mundo afora, mas ainda pouco valorizada no Brasil, a Atenção Primária à Saúde (APS) desempenha um papel fundamental na prevenção e promoção à saúde ao ter a equipe de saúde da família como figura central. Isso permite que o paciente seja avaliado de forma integral, sem a necessidade de ser acompanhado por demais especialistas.

Adotar ações voltadas à APS não apenas reduz os gastos excessivos com consultas e exames, como garante um acompanhamento médico personalizado, permanente e favorece melhores desfechos clínicos. Na Amparo Saúde, healthtech pioneira em APS presencial e remota no Brasil, seus médicos acompanham os pacientes e resolvem, em média, 90% dos casos sem necessidade de encaminhamento para outro especialista.

Mas o que de fato um médico de família pode fazer por você? Abaixo, estão algumas atribuições dos especialistas que atuam com atenção primária à saúde e que talvez você não conheça.

  • Pré-Natal e acompanhamento do primeiro ano de vida do bebê

Com a especialização em medicina de família, o profissional passa a ter propriedade para resolver cerca de 80% das demandas de ginecologia e obstetrícia, pré-natal e pediatria. “Na Amparo, fazemos orientação quanto ao planejamento familiar, acompanhamos o pré-natal e o primeiro ano da criança, colocamos DIU, rastreamos câncer de colo de útero e de mama. Quando nos deparamos com casos que necessitam de cuidados mais específicos, como endometriose, mioma uterino e doença pélvica inflamatória, encaminhamos para um especialista dar continuidade no caso, mas não deixamos de acompanhar também”, explica a Dra. Naiana Melo, Médica de Família da Amparo Saúde.

  • Acompanhamento e controle de pacientes hipertensos

A hipertensão é um dos mais importantes fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, que se tornaram ainda mais presentes no dia-a-dia devido ao sedentarismo e ao estresse causados pelo isolamento social. “Diversos outros fatores presentes na vida das pessoas, como má alimentação e tabagismo, colocam a saúde em risco e também podem levar a casos de AVC ou infarto. O médico de família, por conhecer todo o histórico do paciente e acompanhá-lo de perto, pode influenciar positivamente na decisão da mudança de rotina antes das complicações surgirem”, explica o Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde.

  • Tabagismo

O uso do tabaco continua sendo líder global entre as causas de mortes evitáveis, segundo inúmeras publicações recentes da Organização Mundial da Saúde – OMS. Dados da própria Organização mostram que, por ano, cerca de 6 milhões de adultos com idades a partir de 30 anos morrem no mundo em decorrência da exposição ao tabaco (fumantes e não fumantes). No Brasil, o tabagismo é responsável por cerca de 200 mil mortes por ano. “Se pensarmos na saúde, parar de fumar é muito importante. É necessário mudar hábitos e um médico de família, por acompanhar todo o seu histórico, consegue auxiliar o paciente nesse desafio”, explica Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde.

  • Obesidade

A causa da obesidade é o consumo calórico maior que o gasto calórico. Os fatores associados a esse desequilíbrio de energia incluem predisposição genética, dinâmicas comportamentais, distúrbios hormonais, influências culturais e circunstâncias ambientais. O Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde, diz que “a minoria dos indivíduos apresenta obesidade como resultado de uma doença ou síndrome endocrinológica, que pode variar de assintomática a uma apresentação complicada por múltiplas comorbidades clínicas. Além disso, a obesidade é um importante fator de risco cardiovascular, sendo essencial sua abordagem clínica com a finalidade de avaliação de riscos, prevenção e promoção de saúde.”

  • Asma

A asma é a principal causa de doença respiratória crônica no mundo. Estima-se que a asma seja responsável, no mundo, por cerca de 250.000 mortes por ano. No Brasil, apresenta uma alta taxa de mortalidade: cerca de 2 mil mortes anuais.

“A identificação correta e precoce de pacientes portadores de asma, bem como a implementação de tratamento adequado na atenção primária, pode reduzir muito a morbidade e mortalidade por asma no Brasil”, alerta o Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde.

  • Prevenção e tratamento de Diabetes

A Diabetes é uma doença crônica cada vez mais frequente na sociedade. O médico de família pode – e deve – cuidar do manejo da doença. “Quem tem Diabetes precisa de autocuidado diário para evitar complicações. E ter um médico de família e uma equipe de enfermagem que já conheçam todo o seu histórico de saúde, auxilia com um cuidado personalizado e oferece mais segurança no atendimento, pois há um vínculo maior entre paciente e profissional”, conta Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde.

  • Distúrbios do Sono    

A insônia é um dos distúrbios do sono mais comuns, assim como apneia do sono, narcolepsia e síndrome das pernas inquietas. O Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde, explica que “avaliar as causas e indicar o tratamento correto é uma das premissas da medicina de família.”

  • Aliado na identificação e na prevenção de Câncer

A atenção primária, via equipe de saúde de família, é o primeiro contato do paciente com o sistema de saúde. “Em suas consultas, essa equipe consegue orientar sobre ações preventivas, assim como identificar fatores de risco, como histórico familiar e atividades laborais de risco, de maneira a ajudar no diagnóstico precoce”, finaliza o Dr. Moacyr Campos, Diretor Médico da Amparo Saúde.

Imagem: Family photo created by gpointstudio – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial