Press "Enter" to skip to content

Chegada do inverno: quais são os riscos para a imunidade das crianças?

Baixas temperaturas e clima seco são alguns fatores que aumentam a ocorrência de gripes e outras doenças respiratórias nesta época do ano

A estação mais fria do ano é lembrada pelas mães como uma temporada de coriza, tosse, espirro e dificuldade para respirar nos pequenos. E, como de costume, elas não estão enganadas. O inverno, realmente, é uma época do ano em que se observa com mais frequência a ocorrência de doenças que afetam o sistema respiratório, tais como a gripe, a renite e a laringite.

“Esse aumento está relacionado a baixas temperaturas, tempo seco e aumento da poluição. No frio, as pessoas também optam por ambientes pouco ventilados, que facilitam a transmissão de vírus e bactérias, principalmente em crianças, que costumam ter o sistema imunológico ainda em desenvolvimento”, explica o alergologista pediátrico Alexandre Okamori, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

De acordo com o Dr. Okamori, mesmo em regiões menos atingidas por invernos rigorosos, como Norte e Nordeste, as doenças respiratórias costumam dar um salto nesta época. “Devido à sazonalidade dos vírus, crianças que residem em locais com climas mais amenos também podem ter maior acometimento de vias aéreas nesses meses do ano.

Mas afinal, o frio faz cair a imunidade?

Segundo o especialista, a resposta é não. Não há no inverno uma característica específica que prejudique o sistema imunológico em si. O que ocorre, como explicado, é uma maior circulação dos vírus e bactérias, que acabam por atingir mais facilmente indivíduos – sobretudo os pequenos – que já estejam com baixa imunidade.

“Algumas infecções virais também são responsáveis por causar um período transitório de déficit na imunidade, permitindo o desenvolvimento de infecções bacterianas”, esclarece.

E, então, como garantir uma boa imunidade independente da estação do ano?

– Adeque a alimentação da criança

Uma alimentação balanceada, que tem como base alimentos naturais como frutas, legumes, verduras e carnes magras é fundamental para uma vida saudável, em qualquer idade.

Garanta o consumo de todas as vitaminas e nutrientes necessários para o desenvolvimento infantil.

– Incentive a prática de atividades físicas

A prática de exercícios, sempre adequada à faixa etária da criança, também ajuda na prevenção de doenças. As atividades físicas, em geral, ajudam a regular o sono e o apetite dos pequenos, além de favorecerem as condições respiratórias.

– Não atrase ou abra mão de vacinas

Manter a carteira vacinal em dia é fundamental para melhorar a imunidade da criança e reduzir a ocorrência de diferentes tipos de doenças.

O uso dos medicamentos certos para o tratamento de gripes e resfriados, como os antigripais líquidos, é uma outra medida importante para reduzir a ocorrência destas doenças, somando-se às vacinas.

E, no dia a dia, como melhorar a rotina para evitar infecções virais e bacterianas?

Semelhantes aos cuidados com a transmissão da Covid-19, para o caso de gripes e outras síndromes gripais as recomendações dos especialistas são categóricas:

– Apostar em ambientes bem arejados e com circulação de ar, independente das temperaturas;

– Evitar aglomerações;

– Lavar as mãos.

Já no que diz respeito aos alérgicos, vale ainda limpar bem o ambiente e lavar roupas que estejam muito tempo guardadas antes de colocá-las para uso, evitando contato com a poeira.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial