Press "Enter" to skip to content

Mitos e verdades sobre o colesterol

No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, endocrinologista da Casa de Saúde São José dá dicas sobre essa condição, que se não for controlada pode causar doenças cardiovasculares

No próximo domingo, 08 de agosto, é o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, data criada com o objetivo de chamar atenção da população para as consequências que o excesso de LDL – conhecido como colesterol ruim – no sangue pode trazer à saúde, como infarto, derrame e outras doenças cardiovasculares. A seguir, a endocrinologista Ana Salgado, da Casa de Saúde São José (RJ), analisa alguns mitos e verdades sobre o colesterol, que é um tipo de gordura importante para o funcionamento do organismo. Ele está presente no sangue e em todos os tecidos, contribuindo para a produção de muitos hormônios, de vitamina D, de ácidos envolvidos na digestão e também tem papel na regeneração das células.

1) Tomar chá e comer berinjela fazem as taxas de colesterol caírem – Mito: de acordo com a médica, não é a berinjela especificamente que irá melhorar a condição e sim uma dieta balanceada, com legumes, verduras e fibra. “Devemos evitar gorduras, alimentos industrializados e carnes com alto teor de gordura, como carne vermelha e de porco”, explica.

2) Comer ovo é prejudicial para o colesterol – Mito: segundo Ana, o ovo não é o vilão e não há uma quantidade limite para sua ingestão por semana, por exemplo. “O que recomendamos é evitar fritá-lo, especialmente com óleo ou manteiga”, aponta.

3) Colesterol alto pode estar ligado a um fator genético – Verdade: algumas pessoas, mesmo com uma dieta balanceada e praticando exercício físico, continuam apresentando índicos altos de colesterol no sangue. De acordo com Ana, isso pode ter ligação hereditária e é preciso fazer um acompanhamento médico – de um endocrinologista ou cardiologista – para avaliar um tratamento medicamentoso.

4) A pandemia contribuiu para que muitas pessoas apresentassem níveis altos de colesterol no sangue – Verdade: Ana explica que, com o isolamento social, grande parte da população deixou de se exercitar e também passou se alimentar de forma menos saudável. “Com o sedentarismo, aumento do consumo de álcool e piora nos hábitos alimentares, já sentimos os reflexos nos resultados dos pacientes. Além disso, muita gente deixou de ir ao médico nesse período e não fez um check up para acompanhar a saúde e realizar exames de rotina”, afirma.

5) Colesterol afeta apenas adultos e idosos – Mito: de acordo com a médica, o excesso de colesterol pode afetar pessoas de todas as idades, inclusive crianças e adolescentes.

6) Exercício físico e dieta balanceada são os melhores tratamentos – Verdade: Não há receita milagrosa e manter hábitos saudáveis, com atividades físicas regulares e uma alimentação equilibrada, é a melhor receita.

Imagem: Food photo created by rawpixel.com – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial