Press "Enter" to skip to content

Temperaturas mais baixas contribuem para o aumento na realização de procedimentos estéticos

A busca por cirurgias estéticas costuma aumentar 50% durante o inverno, devido aos benefícios da cicatrização durante o processo de reabilitação. Segundo especialista do Hospital Santa Catarina – Paulista, as cirurgias mais frequentes neste período do ano são as que envolvem grandes curativos como as mastoplastias, abdominoplastias e lipoaspirações

Mesmo em meio à pandemia, a demanda por procedimentos estéticos tem crescido significativamente durante o inverno. Ainda não existem dados que contemplam a incidência deste fenômeno, porém, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a busca por cirurgias dessa natureza costuma aumentar em 50% nas estações mais frias do ano. Isto é resultado dos diversos benefícios que a época do ano traz para o processo de cicatrização e reabilitação daqueles que optam pela realização destas intervenções. Para garantir um atendimento seguro aos pacientes, todas as etapas envolvendo consultas e acompanhamentos pré-operatórios foram adaptadas, incluindo a entrega compulsória de testes para a COVID-19 entre os exames necessários e a restrição de acompanhantes durante o período de internação.

As temperaturas mais frias facilitam o repouso dos pacientes no momento pós-operatório, que é fundamental para o processo de reabilitação, e contribuem ao garantir menor inchaço nas regiões operadas. Além dos fatores favoráveis impostos pelo clima, existem outros motivos que causam o aumento na realização das cirurgias plásticas nesta estação. Segundo o Dr. Alan Trimboli, cirurgião plástico do Hospital Santa Catarina – Paulista, este período do ano também é vantajoso para aqueles que buscam uma recuperação a tempo de desfrutar as épocas mais quentes. “Muitos procuram aproveitar as férias e, ao mesmo tempo, querem estar ‘prontos’ para o verão, podendo tomar sol e fazer exercícios ao ar livre”, adiciona. Segundo o especialista, as cirurgias mais frequentes no inverno são as que envolvem grandes curativos como as mastoplastias, abdominoplastias e lipoaspirações. “Agora, com o avanço da vacinação, o medo de visitas ao hospital vem diminuindo e o número de cirurgias eletivas tem aumentado gradativamente”, completa.

Devido aos critérios rígidos associados aos cuidados pós-operatórios para estas cirurgias, nenhuma mudança ou recomendação adicional foi feita neste processo após o início da pandemia. Mesmo assim, a realização de qualquer procedimento eletivo merece atenção redobrada no atual cenário. Segundo o Dr. Trimboli, existem alguns fatores que carecem de uma avaliação adequada e cuidadosa antes do agendamento da operação. “As principais recomendações são no sentido de escolher criteriosamente o local em que será realizada a cirurgia; saber se as “alas Covid” são separadas fisicamente do restante do hospital; fazer o exame de detecção do vírus (RT PCR) e todos os outros exames recomendados, como laboratoriais, imagem, avaliação clínica, cardiológico, entre outros”, reforça. É importante lembrar que todos os procedimentos invasivos levam a um estresse do organismo, que tende a diminuir as defesas imunológicas dos pacientes, podendo torná-los mais suscetíveis a uma infecção viral ou bacteriana, como a COVID-19. Por isso, todas as medidas sanitárias recomendadas pela Organização Mundial da Saúde devem ser reforçadas para estes indivíduos.

Para aqueles que querem aproveitar o inverno para realizar um procedimento estético, o Dr. Trimboli indica algumas ações pré-operatórias que podem contribuir para a eficiência do processo de recuperação. “Manter uma alimentação e hábitos saudáveis (não beber e não fumar ou pelo menos diminuir muito) nos dias que antecedem a cirurgia estão entre as principais recomendações. Também é importante fazer todos os exames solicitados pelo médico escolhido, visando verificar a existência de complicações que podem prejudicar a operação”, finaliza. Em relação aos cuidados dietéticos, é indicado a redução de alimentos gordurosos, dando preferência ao consumo de legumes, verduras, pães e cereais integrais, carnes magras, frutas, leite e alimentos ricos em ferro, como o feijão. Vale lembrar que a hidratação também é imperativa no processo de reabilitação, portanto, a ingestão de água deve ser constante. Além disso, a utilização de cremes tópicos irá contribuir diretamente para a hidratação da pele, garantindo maior elasticidade e diminuindo a incidência de estrias.

Imagem: People photo created by wayhomestudio – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial