Press "Enter" to skip to content

Análise mostra que volume de internação por Covid-19 no Einstein caiu em até 78% em pacientes vacinados

A maior redução observada foi dentro da faixa etária de 60 a 69 anos, onde as admissões caíram de 146, pré-vacinação, para 32, no segundo mês após a imunização desta faixa etária. A avaliação demonstrou que o número de pacientes admitidos em UTIs também apresentou queda

Uma análise realizada pelo Einstein entre os meses de janeiro e julho desse ano, com 2.798 pacientes admitidos no hospital, apontou queda nas internações por Covid-19 em pessoas com idade superior a 50 anos, a partir de duas semanas após o início da aplicação da 1ª dose da imunização, em São Paulo. Conforme avançava o calendário de vacinação, o levantamento constatou que a admissão de pacientes de faixas etárias vacinadas foi de 2 a 5 vezes menor, enquanto as internações em leitos de UTI ou de pacientes com necessidade de intubação, de 2 a 8 vezes menor entre as faixas etárias vacinadas.

Para realizar a avaliação, foram consideradas quatro faixas etárias: 80 anos ou mais; entre 70 e 79 anos; 60 e 69 anos; e, 50 e 59 anos. Como grupo controle, formado pela população que não teve acesso à vacina, foi avaliada a população abaixo de 50 anos. Com o avanço da imunização dentro dos grupos avaliados, verificou-se que houve redução de 78% no volume de pacientes admitidos com idade entre 50 e 69 anos e acima de 50%, com idade maior ou igual a 70 anos. Enquanto isso, internações da faixa etária com menos de 50 anos cresceram 55%, entre abril e junho.

Conduzida pela pesquisadora Vanessa Teich, superintendente de Economia da Saúde do Einstein, a avaliação considerou o calendário de vacinação no Estado de São Paulo, contemplando as antecipações anunciadas e efetivadas durante a campanha. O levantamento demonstrou que houve um número maior de internações hospitalares por Covid-19 antes, durante e logo após a vacinação, quando o imunizante ainda não havia feito efeito. No entanto, diminuíram à medida que a cobertura vacinal da população progredia, tanto para pessoas que receberam a 1º quanto para a 2º dose ou dose única. “Duas semanas após o início do plano de vacinação, observamos uma queda do volume de internações entre as faixas etárias priorizadas pelo programa”, afirma Vanessa.

De acordo com ela, apesar do aumento da prevalência de novas Variantes de Preocupação, como a Delta, o número de internações e óbitos, principalmente entre os grupos de risco para doença, têm desacelerado conforme cresce o percentual da população com ciclo de imunização completo. “As respostas imunes induzidas pelas vacinas demonstram ser eficazes em atenuar a gravidade da doença, refletindo na queda de hospitalizações, de utilização de ventilação mecânica e necessidade de internação em Unidade de Terapia Intensiva”, explica a superintendente.

Apesar da perspectiva de queda dos números da Covid-19 ser um dado importante para demonstrar a efetividade da vacinação, independente da eficácia de uma vacina, as medidas de prevenção são fundamentais para enfrentamento da pandemia e proteção da população. “Devemos nos aproximar de um cenário semelhante àquele anterior ao surgimento da Covid-19”, diz a pesquisadora. “Mas precisamos estar preparados para agir estrategicamente, caso torne-se necessário aplicar uma nova dose da vacina com o propósito de aumentar a proteção da população frente às variações adaptativas do vírus e trabalharmos com a possiblidade da doença tornar-se endêmica.”

Imagem: Background photo created by topntp26 – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial