Press "Enter" to skip to content

Biossegurança na odontologia

Os consultórios odontológicos são seguros. Como é a prevenção, proteção e os cuidados que devem ser praticados, para tornar o ambiente das clínicas odontológicas livres de vírus e bactérias

A pandemia da Covid19 trouxe de volta vários temas, discussões e mudança de hábitos, principalmente quando o assunto é biossegurança em locais onde a proliferação de vírus e bactérias pode acontecer.

Para a área odontológica, a biossegurança é uma prática adotada há muito tempo como método de prevenção e controle de infecção para evitar ou reduzir ao máximo a transmissão de microrganismos durante qualquer tratamento odontológico realizado em consultórios.

“Protocolos de biossegurança há tempos são parte da rotina e do conhecimento de todos os profissionais que trabalham com odontologia para controlar os ambientes com risco biológico e oferecer procedimentos seguros aos pacientes”.

Mas quais são esses cuidados que devem ser tomados nos consultórios odontológicos, principalmente em tempos de pandemia?

A adoção de medidas preventivas como o uso de agentes de desinfecção odontológicos de superfícies, além do uso de EPI’s, como óculos de proteção, máscara cirúrgica, face shield e luvas descartáveis, são essenciais.

Em conjunto a isso, os profissionais passaram a manter os ambientes ventilados e a adotar marcações de consultas com maior espaçamento de tempo, para que a correta limpeza do ambiente clínico seja feita antes que o próximo paciente chegue.

A ideia é que o tempo dentro do consultório seja otimizado ao máximo, tanto para segurança dos pacientes, como dos profissionais.

Nunca foi tão importante o aprimoramento destas boas práticas para garantir segurança ao acesso à saúde bucal em todas as regiões do país, sendo grande parte desse acesso oferecido pelos planos odontológicos, segmento representado pela SINOG – Associação Brasileira de Planos Odontológicos.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial