Press "Enter" to skip to content

Dia do Ortopedista: Quando é hora de procurar um médico especialista em coluna?

Os problemas nas costas lideram mais uma vez o ranking de principais causas que afastam trabalhadores dos seus postos no último ano. Foram mais de 49 mil casos em 2020. A Síndrome do manguito rotador (dor nos ombros) e a COVID-19 aparecem na sequência com 37 mil afastamentos cada.

Segundo o médico ortopedista especialista em cirurgia da coluna, Dr. Antônio Krieger, além das dores nas costas, as doenças da coluna podem se manifestar através de outros sintomas, inclusive em outras partes do corpo, e alerta sobre quando um especialista deve ser procurado.

“Dores nas costas persistentes em pessoas com menos de 20 anos e acima dos 55 anos, redução da capacidade de se movimentar, alteração da força de braços e pernas, alteração da sensibilidade e dores que irradiam para os membros devem ser investigadas”, diz o cirurgião.

É estimado que entre 65% e 90% da população mundial sofrerá pelo menos um episódio dessa dor que gera impactos pessoais, ocupacionais, sociais e econômicos. As dores nas costas podem estar relacionadas a diversos fatores, entre eles o envelhecimento natural, estresse, sobrepeso e sedentarismo e ser agravada devido ao uso excessivo de computadores e trabalhos que envolvam carregamento de carga, por exemplo.

“Quem fuma, tem histórico de tumores, faz uso de corticoides por longos períodos ou apresenta um comprometimento da imunidade também devem redobrar os cuidados e ficar atento à saúde da coluna”, alerta Krieger.

PREVENÇÃO – A prevenção de problemas na coluna envolve alguns pilares, como a prática regular de atividade física e o fortalecimento do core (grupo com 29 pares de músculos na região lombar, abdominal, quadril e pelve); parar de fumar e manter-se dentro do peso ideal.

“Sem exercícios, seus músculos podem ficar fracos, sobrecarregando as articulações, levando a dor e acelerando o processo natural de degeneração. O hábito de fumar compromete e acelera o processo de degeneração dos discos intervertebrais, responsáveis por amortecer impactos e dar flexibilidade para a coluna, além de reduzir a capacidade de absorção de cálcio, fundamental para a saúde óssea. O sobrepeso e principalmente a obesidade podem alterar o centro de gravidade do corpo, forçando a postura e gerando uma tensão na coluna”, explica Antônio Krieger.

Ainda segundo o especialista, cuidar da postura e reduzir os níveis de estresse colaboram para uma vida sem dores nas costas.

“Crie o hábito de vigiar sua postura ao estar em pé ou sentado; no trabalho busque a ergonomia na estação de trabalho, faça intervalos e alongue-se; ao levantar objetos pesados, faça da forma correta e com segurança. Com relação ao estresse, o nosso corpo reage criando tensão muscular que pode afetar suas costas e levar até mesmo a quadros de dor. Relaxar, desligar o celular, praticar exercícios podem te ajudar a gerenciar o estresse e prevenir a dor”, garante o médico.


Doença responsável por afastar o trabalhador e auxílios-doença concedidos em 2020
1 – Transtornos de discos lombares e de outros discos intervertebrais com radiculopatia (hérnia de disco, artrose da coluna e outros) com 49.321 casos

2 – Síndrome do manguito rotador (bursite e outras lesões na articulação do ombro) com 37.311 casos

3 – Infecção por coronavírus (Covid-19) com 37.045 casos
4 – Dor lombar baixa (dor nas costas) com 36.931 casos
5 – Lumbago com ciática (dor na parte inferior da lombar com inflamação do nervo ciático) com 31.875 casos

6 – Fraturas da extremidade distal do rádio (fratura do punho) com 30.721 casos
7 – Episódio depressivo grave sem sintomas psicóticos (depressão) com 26.327 casos
8 – Transtorno misto ansioso e depressivo (ansiedade e depressão) com 20.986 casos
9 – Fratura da clavícula (osso que liga o braço ao tronco) com 19.413 casos
10 – Fratura do maléolo lateral (fratura do tornozelo) com 19.104 casos
Fonte: Instituto Nacional de Seguro Social (INSS)

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial