Press "Enter" to skip to content

Relatório da Swiss Re comprova os benefícios da natureza para a saúde

O Swiss Re Institute divulgou o estudo ‘Biodiversidade e benefícios para a saúde humana’, que aborda como o tempo gasto na natureza pode ser valioso para o bem-estar físico e mental. A correlação é significativa: considerando que passar mais tempo em espaços verdes ou florestas reduza os problemas de saúde mental em 1% até 2030, a economia global anual seria de US$ 60 bilhões. Já para as doenças cardiovasculares, o mesmo cenário resultaria em uma economia global de US$ 10 bilhões por ano.

O relatório enfoca na saúde mental e nas doenças cardiovasculares, mas também no impacto da exposição à poluição do ar, calor e ruído. Ele usa dados de custos de saúde para estimar a economia potencial que poderia ser alcançada com a incorporação de mais elementos relacionados à natureza em ambientes urbanos e examina como essas mudanças podem estar associadas ao seguro de saúde e de propriedade.

A poluição do ar é uma preocupação de saúde global; e áreas urbanas com mais árvores têm melhor qualidade do ar. Um estudo dos EUA sugeriu que a cobertura de árvores nos EUA removeu 17,4 milhões de toneladas de poluentes em 2010, o que equivale a uma economia de saúde de US $ 6,8 bilhões. As árvores também refrescam as cidades no verão e oferecem espaço para relaxamento. Eles contribuem para prevenir a mortalidade induzida pelo calor, problemas respiratórios e transtornos mentais e podem ser ressegurados contra condições climáticas extremas.

– Em 2050, prevê-se que mais de dois terços da população mundial viverão em áreas urbanas. Hoje, muitas pessoas têm acesso limitado a espaços verdes e estão experimentando os efeitos nocivos da poluição atmosférica e sonora em áreas urbanas e periféricas. Como mostra este relatório, aumentar a biodiversidade ao criar mais parques e plantar mais árvores beneficia claramente a saúde de todos. Para a indústria de resseguros, será importante padronizar a forma como medimos os benefícios do tempo gasto na natureza para explicar melhor os efeitos positivos na saúde e, assim, desenvolver soluções de seguro relacionadas”, diz Oliver Schelske, do Swiss Re Institute Natural Assets & ESG Research Lead.

A mortalidade relacionada a altas temperaturas está aumentando em todo o mundo devido às mudanças climáticas e ondas de calor mais frequentes. Cidades com boa vegetação lidam melhor com o calor. Um estudo sugeriu que a temperatura do ar durante as ondas de calor em Londres é até 4°C mais fria em uma faixa de 400 metros de parques.

– Os benefícios da melhoria da saúde humana devido ao tempo passado na natureza para a sociedade e economia global são indiscutíveis. Se, por um lado, o isolamento por causa do Covid-19 foi importante para controlar a doença, por outro podemos ver como ficar longe da natureza e do ar-livre impacta no bem-estar. Devemos, portanto, considerar nossos ambientes verdes algo tão valiosos quanto os ativos privados ou públicos. A indústria de resseguros pode desempenhar um papel na habilitação e proteção de ambientes verdes, como garantir florestas urbanas ou telhados verdes. “, diz Christoph Nabholz, diretor de pesquisa do Swiss Re Institute.

A publicação ‘Biodiversidade e os benefícios para a saúde humana’ alinha-se com os ‘The Big Six’ Lifestyle Factors da Swiss Re, uma iniciativa para desenvolver uma compreensão baseada em evidências de como o estilo de vida e os fatores clínicos interagem entre si e afetam a saúde das pessoas. Esses fatores incluem bem-estar mental, atividade física, ambiente, sono, nutrição e uso de substâncias. A Swiss Re está incorporando essas descobertas no Life Guide, seu principal guia de subscrição de vida e saúde.

Imagem: People photo created by jcomp – www.freepik.com

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial