Press "Enter" to skip to content

Cuidados de verão: precauções para manter uma pele saudável e protegida

Por Dra. Lilian Odo, dermatologista na Clínicas ODO*


No verão certos procedimentos devem ser intensificados na rotina de cuidados com a pele. Isso porque a incidência da radiação ultravioleta (especialmente a UVB) aumenta e a atenção deve ser redobrada, pois podem ocorrer queimaduras, envelhecimento precoce e ampliar o risco de câncer de pele.
 

De acordo com o INCA, a estimativa para cada ano do triênio 2020-2022 aponta que ocorrerão 625 mil novos casos de câncer no Brasil, sendo ‘não melanoma’ o mais incidente. Diagnosticado em cerca de 30% da população, ele é causado por uma predisposição genética; porém, fatores ambientais, como a exposição solar excessiva e crônica, contribuem para o surgimento das lesões malignas. Por isso, o cuidado e a proteção da pele são importantes em toda época do ano.
 

A pele durante o verão
 

As principais mudanças que acontecem na pele com a chegada do calor vão desde o surgimento de novas manchas e rugas, até a alteração da textura e cor. O ressecamento também é uma consequência, sendo intensificado com a exposição ao vento, areia, água do mar, sabonetes de limpeza profunda, ar condicionado e substâncias químicas presentes em piscinas.
 

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), áreas como rosto, mãos, braços, colo e ombros podem apresentar manchas de coloração marrom e até mesmo branca – que ocorrem devido à exposição prolongada ao sol e aparecem ao longo da vida. Isso acontece porque são regiões que ficam mais expostas aos raios UVB e UVA, o que causa uma produção acelerada de melanina, que atua como um mecanismo de defesa natural da pele contra a radiação solar.
 

O sol em excesso também contribui para o fotoenvelhecimento e diminui a defesa imunológica da pele. Além de câncer, pode causar uma maior incidência de inflamações e infecções que se manifestam como herpes simples, foliculites, acne, brotoejas, micoses e alergias.
 

Cuidados com a pele no verão
 

Ampliar os cuidados com a pele é de suma importância para manter a sua vitalidade, adotando algumas medidas como:

  • Manter a pele limpa, seca e livre do suor;
  • Beber bastante líquidos, evitar os alcoólicos e comer alimentos ricos em antioxidantes;
  • Usar roupas, chapéus, bonés, barracas – quanto mais escura a sombra, maior é a proteção;
  • Lembrar que mesmo na sombra podemos receber a radiação do sol por reflexão nas superfícies que nos cerca;
  • Evitar as horas mais quentes do dia e sempre usar protetor solar mesmo se estiver nublado, pois os raios ultravioletas ainda atingem a pele;

O ideal é investir em itens com fator de proteção solar acima de 50 FPS, além de evitar o sol entre às 10h e às 16h. A aplicação do protetor deve ser realizada de 30 a 40 minutos antes da exposição, de maneira uniforme em todas as partes do corpo e não se deve economizar na quantidade. A reaplicação deve seguir a cada 2 horas de exposição ou após transpiração excessiva ou de mergulhos prolongados.
 

Protetor solar: opções para cada tipo de pele
 

Protetor solar não é tudo igual. Dependendo do produto, ele pode ser químico, físico ou a mistura dos dois. O protetor químico, cria uma camada de proteção que absorve a radiação solar, impedindo a sua penetração na pele, atuando tanto nos raios UVA quanto nos UVB. Já o físico contém minerais que formam uma película na superfície cutânea que refletem e dispersam a radiação ultravioleta. Ideal para pele sensível ou alérgica.

Existe uma infinidade de opções no mercado, que além de ser físico ou químico, tem diferenças na textura, composição, cor e até mesmo na forma de aplicação, como por exemplo:

  1. Protetor fluido/líquido/gel: apreciado em países tropicais, esse protetor “desaparece” na pele por conta de sua textura aquosa proporcionando uma finalização seca.
  2. Protetor pastoso/cremoso: aparece em produtos para o corpo e rosto. Fixa melhor na pele e costuma ser resistente à água. É indicado para peles maduras ou áreas ressecadas.
  3. Protetor com cor/tonalizante: Além de proteger dos raios UV, o pigmento também atua contra a luz visível e uniformiza a cor do rosto.
  4. Protetor spray: mais fácil de espalhar, é preferível usar este produto no corpo e em áreas pilosas.
  5. Protetor em pó: produto que permite retocar o filtro no rosto ao longo do dia. Geralmente com cor, ajuda a manter a proteção sem danificar a maquiagem e ainda matifica o rosto.
  6. Protetor em bastão: ideal para ser usado no rosto, especialmente nos lábios. Os produtos com cor apresentam uma boa cobertura e ajudam a disfarçar marcas e manchas na pele.

Há ainda os protetores solares associados à substâncias antioxidantes, seborreguladores, clareadoras, hidratantes e que ajudam no reparo do DNA celular (fotoliase), além dos fotoprotetores orais derivados dos betacarotenos e Polypodium leucotomos que complementam o uso dos produtos tópicos.
 

Não há mais desculpas para não usar um protetor solar, sendo fácil achar um que agrade. E lembre-se, é importante procurar um dermatologista se notar manchas na pele que estão se modificando, formando “cascas” na superfície, sangrando com facilidade, além de feridas que não cicatrizam ou lesões com crescimento progressivo. O câncer de pele pode e deve ser tratado, mas o diagnóstico precoce é essencial para um bom resultado terapêutico.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial